Como montar um espetáculo teatral?

11 de ago de 2010

Essa é mais uma dica da galera do DIPLOARTE para quem não conhece essa área...
O teatro está presente nos nosso cotidiano... Respiramos teatro, sem perceber. Teatro, além de nos divertir, pode ser uma maneira criativa de apresentar um trabalho na vida acadêmica...
E ai?! O que acha de montar um grupo e improvisar no palco da vida? Não sabe como? Confira 7 passos...

Formação do grupo
Convide os interessados a participar, por meio de cartazes, anúncios nas salas de aula e em espaços comunitários. Quando as pessoas se apresentarem, integre os participantes e ofereça possibilidades para que desenvolvam sua capacidade de observação, por meio dos jogos dramáticos.


Escolha do texto O texto a ser apresentado pode ser de algum escritor consagrado ou pode ser escrito pelo próprio grupo, a partir de improvisações. A escolha/criação do texto deve levar em conta o público a quem o espetáculo prioritariamente se destina e os valores estéticos, educacionais e sociais que o grupo quer debater. 

Ensaio
A formação ou preparação do grupo é a primeira parte do processo de ensaio. Por meio de atividades como as sugeridas no item Jogando e Aprendendo a Fazer Teatro, cada participante aprende a conhecer melhor a si mesmo e a seus companheiros, à medida que todos têm dificuldades e necessidades semelhantes.
A segunda etapa, de duração variada, acontece a partir da escolha de determinado texto, que se pretende apresentar ao público, e da personagem mais adequada a cada um. Agora o foco é apoiar cada participante para que ele consiga construir bem a personagem que lhe cabe na peça. Você deverá orientar o grupo nas seguintes atividades:
  • leitura e análise do texto, observando com cuidado os conflitos entre as personagens e suas características físicas e psicológicas;
  • memorização do texto, lembrando que é importante que o participante tenha consciência dos significados das falas e do texto como um todo;
  • ensaio de marcação, evidenciando como as personagens praticam ações no espaço de representação, relacionando-se umas com as outras e com os objetos de cena;
  • ensaios um a um - você observará um participante de cada vez, fazendo os comentários necessários para que o trabalho dele possa ser o melhor possível. Desse modo, se de determinada cena participarem, por exemplo, dez atores, você irá assistir à mesma cena dez vezes, priorizando, em cada uma delas, um dos participantes;
  • ensaio de afinação ou ensaio corrido - processo em que todos os acertos se fazem: interpretações, adereços de cena, inclusão de trilha musical, maquiagem, luz... Trata-se do processo final para que o espetáculo tenha ritmo. 

Criação do figurino e dos cenários
Enquanto acontece a segunda etapa dos ensaios, é preciso ir criando os figurinos, ou seja, as roupas (que podem ser emprestadas, adaptadas ou confeccionadas) e adereços (chapéus, enfeites, objetos) que serão usados - e também o cenário.
  • O cenário e os adereços podem ser criados com a ajuda de pessoas que gostem de artes visuais ou de artesanato). O cenário deve ser seguro e nunca colocar em perigo o ator; ter funcionalidade e não atrapalhar a movimentação dos atores. Deve-se evitar ao máximo interromper o espetáculo para trocas de cenário.
  • Importante: a criação de cenário e adereços deve levar em conta as características do local onde o espetáculo será apresentado: o auditório ou teatro da escola, o pátio, a quadra de esportes, uma sala de aula, a fachada da escola, a rua em que fica o prédio escolar, uma praça vizinha à escola.
  • A luz, a maquiagem, a trilha sonora, as projeções de slides... não são essenciais, mas podem fazer parte do espetáculo. 

5º  Divulgação do espetáculo
O material de divulgação do espetáculo junto às pessoas da escola e da comunidade - convite, cartazes, programas - pode ser preparado por outros alunos e voluntários não participantes do espetáculo. Envolva nessa atividade as pessoas que gostam de expressar-se por escrito.


Apresentação do espetáculo
É o momento-festa em que o conjunto de criadores se confronta com o público: hora de celebração, de tensão, de ansiedade e de muito prazer. 

7º  Debate
O exercício democrático exigido por um trabalho teatral conseqüente, em suas diferentes etapas até o espetáculo, atinge sua natureza específica quando o público é chamado a participar, na condição de debatedor e companheiro do processo. Sendo sua função social, educativa e artística, o espetáculo enriquece todos os sujeitos do processo.



 
Quando fizerem, nos chamem para prestigiar!!
Boa soorte! ;)

6 comentários:

tecendo o saber disse...

obrigado

Matheus Brito disse...

De nada!! XD

Fabi disse...

Mas o que a gente fez mesmo? :P

De nada! ;)

Esquina Online disse...

Muito bom.
ME ajudou muito

Joao Jesus disse...

askrriske baladim meride bacuali !

Joao Jesus disse...

askrriske baladim meride bacuali !

Postar um comentário

 
Diploarte © 2010